Animação IBESO

Tradutor / Translate

16 de dezembro de 2011

O HOMEM E SUAS PAIXÕES


  Dama da Graça: Aline Melo
 Juízes 13: 1 a 5
A bíblia não relata qual foi o pecado cometido pelos israelitas, mas nos deixa claro que eles pecaram contra Deus e por isso Deus os entregou nas mãos dos filisteus por um período de 40 anos, mas durante aquele tempo, um homem chamado Manoá chamou a atenção de Deus, que o escolheu e prometeu um filho a sua esposa que era estéril.
O filho de Manoá, seria um nazireu (que significa ser consagrado a Deus) e este era o escolhido para proteger e salvar o povo de Israel das mãos dos filisteus. Estes eram os planos de Deus para a vida de Sansão e de livramento para Israel.
O que podemos aprender com isso? Antes mesmo de cada um nós existirmos, nós já existiámos nos planos de Deus, pois, a cada um de nós, o Senhor deseja usar de uma forma diferente para a sua obra. Os planos de Deus eles não mudam e já mais poderão ser frustrados, mas Ele nos deu uma arma muito poderosa chamada LIVRE ARBÍTRIO, através dele, nós muitas vezes nos precipitamos, e é nessa hora que nós nos deixamos estar vulneráveis para os ataques mais sórdidos de satanás contra nossas vidas. Mas enganam-se aqueles que se tomam pela soberba e pelo orgulho de que se ele sair não haverá outro, pois, é o Senhor que capacita e levanta o homem do pó para o exaltar entre os grandes.
Juízes 14: 1 a 3
Sansão, usou de seu livre arbítrio, para tomar a filha de um filesteu por mulher, assim que comunicou a seus pais, seu intento foi repudiado, porém, era tarde de mais, pois, aquela mulher havia agradado a seus olhos, estes olhos não são os da visão, mas sim os olhos do coração, olhos de uma paixão desenfreada que nascera naquele momento, e ele não foi capaz de ouvir a seus pais, como autoridade sobre ele, nem muito menos a Deus, pois, Deus o havia designado a proteger seu povo dos filisteus, mas a paixão o cegou de tal forma que ele via naquela filistéia algo que ele não via nas mulheres de seu povo.
Quantas vezes nós somos enganados pelos nossos olhos? Quantas vezes somos alertados mas não queremos ouvir, Sansão deixou de ouvir a voz de Deus e de seus pais. Quantas vezes nós nos fazemos de surdos quando escolhemos alguns caminhos que julgamos ser o melhor para nossas vidas? Muitas vezes esses caminhos são apenas de ida sem volta por decisões precipitadas, decisões sem direção da parte de Deus.
Este casamento foi a primeira grande decepção da vida de Sansão, mas quantos de nós passamos a vida toda nos decepcionando, caindo e levantando das muitas trombadas da vida? Alguns conseguem aprender com os erros dos outros, mas outros nem com o dos outros nem com os dele próprio.
Deus permitiu que Sansão se casasse com a filistéia, perimitiu que após a revelação do enigma, Sansão se decepcionasse a ponto de desistir de sua noiva filistéia, que foi dada a outro homem. Ali, naquele momento, era para Sansão ter se endireitado, e permitido o agir de Deus em sua vida para que fosse cumprido os propósitos de Deus na vida do povo de Israel, mas ele persistiu em querer busar para a sual vida algo diferente da vontade de Deus para sua vida.
Juízes 16: 1, 4 a 6, 15 a 21, 27 a 30
Um dos votos do nazirato de Sansão era de não tocar naquilo que era imundo, quando ele coabitou com a prostituta, naquele momento ele estava quebrando um de seus votos a Deus. O Senhor foi misericordioso com Sasão  em todo tempo, e assim Ele age conosco, com amor, graça e misercórdia.
Não achando pouco, o inimigo usou uma mulher chamada Dalila, pois, esta era a sua melhor arma para destruir os planos de Deus. Logo Sansão apaixonou-se por ela e aos poucos deixou-se ser dominado por seus encantos, charmes. Sansão viu-se tão apaixonado que não se deu conta que Dalila estava em busca apenas de seu segredo.
Quantas pessoas se aproximam de nós, se mostram tão gentis, amáveis diante de nossos olhos apenas por um interesse? Muitas vezes nós pensamos, quem iria ter inveja de mim que não tenho nada? Muitas vezes nós deixamos de dar valor nas pequenas coisas como um dom, uma unção que Deus derramou sobre a nossa vida. Somos tão ingênuos que não conseguimos enxergar as armadilhas usadas por satanás para nos tirar da posição, e vamos deixando nosso chamado de lado, vamos deixando de orar, buscar e quando acordamos, já estamos cegos espiritualmente, quando vemos as vezes nos encontramos no fundo do poço.
Sansão tinha uma grande força física, mas a sua verdadeira força vinda do Senhor estava escapando a cada dia através de suas paixões pelo mundo, e a cada dia ele enfraquecia em sua intimidade com Deus e só ele não percebia isso. Dalila tinha uma meta a ser cumprida, a de descobrir de onde vinha a força de Sansão, pois, ela assim como Judas, receberia algumas moedas em troca de sua valiosa informação, então ela articulou, planejou, seduziu, o importunou a até que ela usou de uma arma mais poderosa a chantagem ao dizer:
“15  Então ela lhe disse: Como dirás: Tenho-te amor, não estando comigo o teu coração? Já três vezes zombaste de mim, e ainda não me declaraste em que consiste a tua força. ” (Juízes 16: 15)
Sansão ao ouvir tais palavras teve o seu coração angustiado, ele foi pressionado a falar o que não queria, e não resistindo mais aquela situação acabou revelando o segrendo de sua força, destruindo assim  com as próprias mãos a última coisa que mantinha a aliança entre ele com Deus, ele estava tão distante de Deus que não sentiu sua presença apartar-se.
É assim que acontece conosco, o pecado vai chegando de mansinho, aos poucos, satanás tem estratégias “perfeitas” para nos enganar, ele não age como amador, ele age como profissional. Ele analisa a situação, nossas reações, nossas atitudes, ele traça o nosso perfil e passa a nos testar não é nas coisas grandes não, ele nos testa nas pequenas coisas, como em uma pequena mentira aqui, uma fofoca ali, e assim ele via trabalhando, de várias formas e atacado nossa vida em todas as áreas, familiar, sentimental, profissional e assim vai, até que ele encontre o nosso ponto fraco, aquele que nos fazer cair. Nós somos tão tolas que aos poucos vamos nos distanciando do Senhor que muitas vezes não percebemos.
Sansão assim que foi preso, a primeira coisa que ele perdeu foi a visão, tornou-se um escravo girando um moinho dia e noite. Quando baixamos nossa guarda da vigilância e perdemos a presença de Deus, a primeira coisa que perdemos é a nossa visão das coisas de Deus, nos conformamos com tudo, passamos a nos conformar com as coisas deste mundo, não temos força para mais nada.
Mesmo estando no funco do poço, Sansão tomou coragem e fez sua última oração a Deus, para que Ele tivesse misericórdia e devolvesse a ele suas forças nem que fosse a última vez. E o Senhor o atendeu, pois, o Senhor não resiste a um coração quebrantado e humilde.
Então a força de Sansão voltou, e ele destruiu tudo quanto havia dentro daquela arena. Crente, todo o poder está nas nossas mãos, quando oramos, clamamos, nós fazemos a diferença, nós rompemos barreiras, mas muitas de nós muitas vezes nos achamos tão fracas que não temos forças para orar. Ei saia desta prisão e nesta hora, clame ao Senhor, abra a sua boca, fale ao Senhor quais são as algemas de sua vida, fale a Ele o que tem te escravisado, confesse a Ele, pois, é tudo o que Ele espera de mim e de você nesta hora, aproveite este momento e faça uma horação sincera como fez Sansão.




Nenhum comentário: