Translate

27 de janeiro de 2011

CAMPANHA VIVENDO DAS MARAVILHAS DE DEUS

RECUPERANDO AS MARAVILHAS DE DEUS

A Bíblia nos conta a história de uma mulher, a qual perdera seu esposo em uma guerra e seu sogro que ao cair de uma cadeira quebrou o pescoço devido ao peso e sua idade, ela também havia sido informada que Israel havia perdido a batalha e perdido a arca da aliança.

A Arca representava o próprio Deus entre os homens, sua presença ativa fez com que os hebreus, por várias vezes, a levassem à frente de seus exércitos nas batalhas. Inicialmente, a presença da Arca era suficiente para que pequenos contingentes hebreus aniquilassem exércitos inteiros, mas quando dispensavam-na, sofriam derrotas desastrosas.

“E sucedeu que, fazendo ele menção da arca de Deus, Eli caiu da cadeira para trás, ao lado da porta, e quebrou-se-lhe o pescoço e morreu; porquanto o homem era velho e pesado; e tinha ele julgado Israel quarenta anos.

E, estando sua nora, a mulher de Finéias, grávida, e próxima ao parto, e ouvindo estas notícias, de que a arca de Deus era tomada, e de que seu sogro e seu marido morreram, encurvou-se e deu à luz; porquanto as dores lhe sobrevieram.

E, ao tempo em que ia morrendo, disseram as mulheres que estavam com ela: Não temas, pois deste à luz um filho. Ela porém não respondeu, nem fez caso disso.

E chamou ao menino Icabode, dizendo: De Israel se foi a glória! Porque a arca de Deus foi tomada, e por causa de seu sogro e de seu marido.

“E disse: De Israel a glória é levada presa; pois é tomada a arca de Deus” (I Samuel 4: 18 a 22).

Na batalha a qual Finéias filho de Eli havia morrido, observamos que a arca da aliança estava presente, mas então o que deu errado? Será que a presença de Deus não foi o suficiente para vencer aquela peleja? Porque a glória de Deus se foi?

Embora Eli fosse sacerdote, seus filhos estavam em grande pecado diante do Senhor e andavam desprezando as ofertas do Senhor, ou seja, eram filhos do sacerdote, porém, não obedeciam a Lei, viviam em rebeldia, haviam se afastado dos caminhos do Senhor, talvez por acreditarem que por serem filhos do sacerdote, a unção e a oração do pai seria o suficiente para livrar-lhes da ira de Deus.

“Era, pois, muito grande o pecado destes moços perante o SENHOR, porquanto os homens desprezavam a oferta do SENHOR”(I Samuel 2:17)

As igrejas estão cheias inchadas de pessoas que vivem de aparência, que fazem parte de uma multidão que vivem de carona na oração do irmão, do obreiro, do pastor mas, estas pessoas não estão dispostas a pagar o preço e querem viver as maravilhas de Deus. Ei irmão não fique de carona na fé dos outros, esteja firme na posição. Até vemos muitos que até pregam bem, falam bem da palavra, mas em um determinado momento eles param e desistem, voltam no meio do caminho estão com a arca nas mãos, mas desistem da jornada e perde suas batalhas.

“E era Eli da idade de noventa e oito anos; e estavam os seus olhos tão escurecidos, que já não podia ver” (I Samuel 4:17).

Aquele povo nunca perdeu uma peleja, mas quando deixaram a glória de Deus em segundo plano para seguirem os seus próprios caminhos, enganando-se a si mesmo e enganando ao sacerdote que já era avançado em dias tinha dificuldade em ver pensaram que poderiam enganar a Deus também e entraram confiantes naquela guerra, mas de Deus não se zomba! Este foi um dos grandes erros daquele povo.

“Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6: 7).

Para viver as maravilhas de Deus é necessário se entregar verdadeiramente a Deus, onde quer que estejamos à glória de Deus se manifestará em nós, mas para isso é necessário darmos espaço ao Senhor, pois, Ele está à procura dos verdadeiros adoradores, assim como Ele encontrou a Davi que foi o único homem segundo o seu coração, hoje Ele deseja te encontrar.

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” (João 4: 23).

Mas o que temos visto nesses últimos dias tem sido um povo rebelde que não quer se humilhar diante da face de Deus, que tem se distanciado cada dia da igreja, o que tem levado muitos de volta para o mundo. Deus pede que façamos propósitos para busca e santificação, mas as pessoas têm distorcido e transformado os propósitos em trocas por bens materiais, queremos vitórias, mas não queremos deixar que o Espírito Santo de Deus lave nossas vestes. Desta forma será que estamos preparados para receber a plenitude de Deus?

Temos visto muitos lares destruídos, almas sendo ceifadas violentamente tudo por desobediência, assim como aconteceu com aquele povo. É necessário reconhecer nossos erros e se humilhar diante da presença de Deus, voltar atrás onde erramos pegar nossa cruz e seguir a Jesus.

Salomão buscou a face de Deus, consagrando-se, orando, jejuando chamando a atenção de Deus e obteve resposta. E conosco será que aconteceria diferente? Claro que não, na verdade o Senhor espera isso de nós.

“E o SENHOR apareceu de noite a Salomão, e disse-lhe: Ouvi a tua oração, e escolhi para mim este lugar para casa de sacrifício.

“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (II Cronicas 7: 12 e 14).

Falar do Senhor e suas maravilhas é bom, mas para vivermos essas maravilhas é necessário muitas vezes passar por caminhos estreitos, pois, temos perdido tempo com bobagens que não edificam. Não podemos desistir no meio do caminho, ainda que se levantem os filisteus de nossos dias para zombar de nós.

É preciso entender que há momentos e situações em nossas vidas que embora sejam contrárias a nossa razão, Deus tem um plano para nossas vidas e custe o que custar vai se cumprir, mas para isso, é necessário permanecer na posição persistir.

Naamã, homem de cargo elevado na Síria, ocupava o posto de capitão do exército, mas, além disso, a sua “vergonha” estava exposta diante de todos, pois, ele era leproso. Quando ele ouviu falar que em Israel havia um profeta de Deus que só de colocar suas mãos sobre ele, ele poderia ser curado, ele não pensou duas vezes e foi ao encontro do profeta Eliseu, mas os planos de Deus eram diferentes na vida daquele homem, pois, Deus conhecia o coração dele e sabia que era necessário que ele se humilhasse e se submetesse a vontade de Deus.

Ao chegar à casa do profeta, este nem o recebeu, apenas disse que para ele ser curado seria necessário sete mergulhos no rio Jordão, rio que naquela época era como o Tietê dos dias de hoje, a cada mergulho ele era curado da soberba, arrogância, no último mergulho ele pode entender e ver que estava curado não somente de sua doença física, mas também de sua doença espiritual.

“Veio, pois, Naamã com os seus cavalos, e com o seu carro, e parou à porta da casa de Eliseu.

Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado.

Porém, Naamã muito se indignou, e se foi, dizendo: Eis que eu dizia comigo: Certamente ele sairá, pôr-se-á em pé, invocará o nome do SENHOR seu Deus, e passará a sua mão sobre o lugar, e restaurará o leproso.

Então desceu, e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou-se como a carne de um menino, e ficou purificado” (II Reis 5: 9 a 11 e 14).

O que faz a diferença na vida de qualquer um de nós é nossa humildade e a presença de Deus, pois, quando Ele faz a obra em nossas vidas, ela é completa, muitas vezes nós podemos perder até a batalha, pois, assim é necessário algumas vezes para podermos crescer em nossa fé, mas já mais perderemos nenhuma guerra, enquanto tivermos a presença do Deus todo poderoso.

Quando Davi foi buscar a arca da aliança na casa de Obede-Edom houve grande festa, Davi pulava e dançava na presença de Deus, porém, sua mulher Micau que estava à beira da janela o desprezou por sua atitude.

“Davi saltava com todas as suas forças diante do SENHOR; e estava Davi cingido de um éfode de linho.

Assim subindo, levavam Davi e todo o Israel a arca do SENHOR, com júbilo, e ao som das trombetas.

E sucedeu que, entrando a arca do SENHOR na cidade de Davi, Mical, a filha de Saul, estava olhando pela janela; e, vendo ao rei Davi, que ia bailando e saltando diante do SENHOR, o desprezou no seu coração” (II Samuel 6: 14 a 16).

Lugar de servo é na presença do Senhor, louvando e engrandecendo a Sua gloriosa presença, saia da beira do caminho, deixe as janelas da dúvida, do medo, do desprezo e levante-se como um verdadeiro adorador, deixe a presença de Deus se manifestar na tua vida, traga de volta a sua arca que é a presença de Deus e recupere as maravilhas que Deus projetou para a sua vida.

Ministrção Realizada Pelo Pr. Marcondes dia 26 de Janeiro de 2011.

Nenhum comentário: